jdiario@diariotupa.com.br

História
Campanha contra preconceito repercute nas redes sociais

          Nem todos sabem, mas uma família em Tupã tem uma grande história de superação e lição de vida. Mesmo morando há bastante tempo em Tupã, a história da jovem Bruna Belorio Lossila veio à tona após uma postagem feita por sua mãe, no Facebook, com uma campanha contra o preconceito, especialmente de pessoas com a Síndrome de Apert. O texto, apesar de não ter sido escrito por sua mãe, Katia Regina Belorio Lossila, comoveu centenas de pessoas. Foram 541 compartilhamentos, 1,7 mil curtidas e 294 comentários até ontem.
Em entrevista ao DIÁRIO, Kátia, casada há 17 anos, mãe de 2 filhas, contou um pouco da história da sua família e a chegada especial da primeira filha, a Bruna, que mudou sua vida.
Bruna, hoje com quase 16 anos, é uma adolescente como todas as outras, porém, vive em tratamento após nascer com a Síndrome de Apert. “A Síndrome de Apert é uma mutação genética. Durante a minha gestação, nós não sabíamos. Os exames que fiz, todos deram normais, sem alteração. Só descobri que a Bruna tinha um problema na hora do parto, quando os médidos a tiraram da minha barriga, e viram que ela tinha alguma coisa”, contou Kátia.
Causada por uma rara mutação, a Síndrome de Apert é uma desordem genética que, por consequência, causa o desenvolvimento incomum das extremidades do corpo, como a cabeça, as mãos e os pés. Bebês com Síndrome de Apert nascem com a cabeça e a face com formas distorcidas. “Quando ela nasceu, os médicos não sabiam o que ela tinha. Todo mundo ficou um pouco transtornado, até que um médico em Tupã estudou o caso e chegamos até a doença, Síndrome de Apert. Fomos informados que o tratamento feito na época, de forma correta, daria a ela a chance de ter uma vida normal. A partir daí, a Bruna foi transferida para um hospital em Bauru, em seu segundo dia de vida”, contou Kátia.
Naquela época, Kátia não pôde acompanhar a filha de apenas 2 dias, porque acabara de passar pela cesárea. “Sofri bastante, mas meu marido foi com a minha sogra”, acrescentou.
Bruna, ainda bebê, foi de UTI móvel para Bauru, onde havia um hospital mais especializado nesse tipo de problema. “Na época, faltava mais conhecimento dos médicos daqui de Tupã, por isso ela foi transferida para lá, mas não achei ruim”, disse.
Segundo Kátia, até hoje não há uma causa específica para que a Bruna desenvolvesse a doença. “Não tem uma causa específica, eu e meu marido fizemos exames na época, simplesmente tinha que acontecer”.

Desenvolvimento
Kátia contou também como foi o desenvolvimento de sua primeira filha, e ela fez questão de deixar claro que, em nenhum momento, rejeitou a realidade de Bruna. “Por ser primeira filha, não tive momento de rejeição. Só queria saber o que ela tinha e o tratamento”, contou.
Segundo a mãe, o tratamento de Bruna prossegue através de cirurgias. Ainda em Bauru, Bruna fez uma cirurgia com 9 meses, para o desenvolvimento do cérebro. Quando nasceu, Bruna tinha as mãos e os pés grudados, e passou por uma cirurgia para desgrudar as mãos e pés em São Paulo.
Mais recente, quando ela tinha 12 anos, fez uma cirurgia para melhorar a aparência e algumas funções, como a visão. Essa cirurgia foi em Campinas. “A cirurgia de face foi bem complexa, um momento bem complicado, porque não era só estética, mas também corrigir algumas funções, como a visão, que já estava ficando ruim”, explicou Kátia.
Bruna faz o acompanhamento todo ano. Agora, a fase de cururgias deu uma pausa, segundo os médicos, porque a adolescente passa por uma fase de crescimento ósseo. “Provavelmente, a próxima cirurgia será com 18 anos, para acertar a mordida. Mas a parte mais delicada já passou, agora é uma questão de esperar o tempo correto”.

Vida normal

Bruna está hoje cursando o 1° colegial em um colégio da cidade. Segundo a mãe, ela é uma adolescente com uma vida normal, tem amigos e vida sociável. “Eu nunca escondi minha filha, nunca deixei de ir em nenhum lugar, quando saia levava ela. Com isso, acho que contribui um pouco para ela se sentir bem e não menosprezada. A Bruna tem amigos, sai sozinha ou com a gente, vai ao cinema, ela é mais na dela, é pouco tímida, mas tem um relacionamento muito legal”, contou Kátia.

Preconceito
Um dos motivos para a história de Bruna ter repercutido é, justamente, o preconceito que, embora não aconteça tanto, ainda existe. “Já passamos por preconceito, quando a Bruna era bebê de colo, me lembro de uma das piores situações, que marcou. Não foi em Tupã, eu estava em uma loja em outra cidade. Lá estavam duas mulheres que apontaram o dedo e começaram a dar risadas. Fiquei muito nervosa, eu quis brigar, mas meu marido controlou a situação. Foi muito desagradável”, lamentou.
Segundo Kátia, ainda hoje algumas situações acontecem, mas por falta de conhecimento das pessoas. “Existem algumas situações que são inevitáveis pela falta de conhecimento das pessoas. O olhar acontece mais pelas crianças, que apontam. Um exemplo ocorreu quando estávamos em um clube, e uma menina perguntou: ‘tia, porque o olho dela é assim?, e eu disse: ‘porque cada um tem o olho diferente, o meu é de um jeito, o seu de outro, e o dela é assim’. Então, têm algumas situações, mas na escola, graças a Deus, ela nunca teve problema, o pessoal trata ela muito bem”, contou Kátia.
Quanto às crianças, Kátia deixa um conselho aos pais: “ainda têm olhares desagradáveis de crianças, até maiores, que já entendem, mas acho que isso vem de berço, os pais deveriam educar as crianças para não terem esse tipo de atitude”.

Facebook

Quanto à repercussão após a postagem no Facebook, Kátia disse ser um momento interessante. “Depois que tive a Bruna, comecei a trocar experiência com outras mães que têm filhos com a Síndrome de Apert, e lutar pela causa. Participo de grupos de mães na mesma situação, e em um dos grupos foi compartilhada essa campanha contra o preconceito, que pedia que a mãe postasse uma foto do filho com a mensagem”, revelou.
Segundo a mãe de Bruna, não só em Tupã, mas em outras cidades a campanha teve grande repercussão. “Achei interessante para as pessoas terem mais conhecimento e amenizar o preconceito. Mas não imaginava essa repercussão, achei muito bacana. As pessoas são carentes dessa informação, fiquei feliz com a divulgação, isso até mesmo ajuda outras pessoas para falar desse assunto e não esconder”, concluiu.
Por fim, Bruna conquista, a cada dia, mais amigos e o respeito das pessoas. Em sua festa de 15 anos, leu uma carta surpresa para sua família, que emocionou a todos os presentes.



Acidente entre 2 ônibus deixa 8 mortos e 50 feridos em Teodoro Sampaio

          Por José Maria Tomazela

Presidente Prudente (AE) - Oito pessoas morreram e cerca de 50 ficaram feridas em uma colisão frontal entre dois ônibus lotados de passageiros, no início da madrugada de ontem em Teodoro Sampaio, no Pontal do Paranapanema, extremo Oeste do Estado de São Paulo. Os ônibus bateram no km 13 da Rodovia General Euclides de Oliveira Figueiredo (SP-563), entre Teodoro e Mirante do Paranapanema, onde a rodovia tem pista simples.
Um dos coletivos levava para casa estudantes de Teodoro Sampaio que frequentam universidades de Presidente Prudente e tinha saído desta cidade por volta das 23h30. Quatro das vítimas mortas - o motorista e três estudantes - estavam nesse ônibus.
Outras quatro pessoas que morreram estavam no coletivo de sacoleiros que retornava de compras no Paraguai e seguia em direção à Rodovia Raposo Tavares (SP-270), mas o destino final era a cidade de Iturama, em Minas Gerais.
A rodovia ficou interditada nos dois sentidos durante toda a madrugada. O Corpo de Bombeiros mobilizou equipes de Presidente Prudente, Presidente Venceslau e Teodoro Sampaio para o resgate às vítimas, já que algumas ficaram presas nas ferragens.
Os feridos, oito deles em estado grave, foram levados para hospitais de Mirante do Paranapanema, Teodoro Sampaio e Presidente Prudente. O total de vítimas ainda era contabilizado pelos bombeiros na manhã de ontem. As causas do acidente serão investigadas pela Polícia Civil.



Reforma do Ensino Médio é fruto de ‘ousadia responsável’ do governo, diz Michel Temer

          Por Julia Lindner e Carla Araújo

Brasília (AE) - O presidente Michel Temer sancionou ontem de manhã a Lei do Novo Ensino Médio no Palácio do Planalto. Durante a cerimônia, ele declarou que a proposta é fruto de uma “ousadia responsável” do governo, que continuará defendendo a aprovação das “grandes reformas”. O presidente tem buscado em solenidades criar agendas positivas para tentar reverter sua baixa popularidade.

Ele minimizou as críticas ao texto, afirmando que a polêmica gerou o aper-feiçoamento da Reforma do Ensino Médio. “Houve um debate extraordinário nos últimos meses. Não tenho dúvida de que foi uma coisa extraordinária o que fizemos.”
O presidente avaliou que a reforma foi “consensuada” entre o governo, o Congresso e a sociedade, que agora “recebe o aplauso de todos”. “As modificações que foram feitas no Congresso nasceram também da sociedade, que participou de maneira expressiva”, disse.
Temer defendeu que é preciso modernizar a educação no Brasil, lembrando que há um orçamento previsto de R$ 10 bilhões para o setor. Ele afirmou que decidiu fazer a reforma porque o tema estava “parado” no Congresso há mais de 20 anos. “Com a Medida Provisória, a Reforma do Ensino Médio ganhou espaço extraordinário no debate nacional”, avaliou.
Esta é a primeira reforma do governo Temer aprovada. Durante a sua fala, ele lembrou que há outras reformas, como a da Previdência e a trabalhista, em análise no Legislativo. “Esse momento é muito revelador do nosso governo. É um governo de reforma e ousadia, mas de ousadias responsáveis”, ponderou.
Ele também lembrou a aprovação da proposta que estipula um limite para os gastos públicos. “Quem ousaria fazer isso?”, questionou. “Quero registrar enfaticamente que, nos dias atuais, mais do que coragem é preciso ousadia”, continuou.

A Medida Provisória do Ensino Médio foi aprovada pelo Congresso no último dia 8. O projeto flexibiliza a grade curricular, permitindo que o estudante escolha parte das matérias que irá cursar.
Reforma

O texto aprovado no Congresso divide o conteúdo do ensino médio em duas partes: 60% para disciplinas comuns a todos, a serem definidas pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC), e 40% para que o aluno aprofunde seus conhecimentos em uma área de interesse, entre as opções Linguagens, Matemática, Ciências Humanas, Ciências da Natureza e Ensino Profissional. A proposta original do governo defendia uma divisão 50% a 50%.
Outro pilar da medida é ampliar a oferta de turno integral de 800 horas para 1,4 mil horas anuais, mediante financiamento da União aos estados e ao Distrito Federal durante dez anos. As disciplinas de Filosofia, Sociologia, Educação Física e Artes funcionarão como matérias “optativas”. As escolas serão obrigadas a oferecer as matérias, mas ficará a cargo do aluno escolher estudar as disciplinas ou não.

Mudança mais
relevante
em 20 anos

O ministro da Educação, Mendonça Filho, declarou ontem que a Reforma do Ensino Médio é a “mudança mais estrutural” e “relevante” na educação pública e privada do Brasil que ocorreu nas últimas duas décadas. Ele afirmou que a medida promoverá uma “ação transformadora” no País
O ministro considera que a reforma vai contribuir para melhorar a qualidade de ensino. “A escola no Brasil é estática, com 13 disciplinas obrigatórias. E qualquer aluno tem que assimilar conteúdos da mesma forma. Não é assim que ocorre, quem vai fazer curso de jornalismo ou de engenharia tem vontades diferentes”, afirmou.
Ele reforçou que o objetivo da reforma não é “excluir nenhuma disciplina específica” e, sim, “abrir a cabeça dos jovens e ampliar oportunidades”.

Mendonça defendeu que os jovens que quiserem antecipar a entrada no mercado de trabalho conseguem fazê-lo com cursos técnicos profissionalizantes. Ele ponderou, contudo, que a oferta de cursos técnicos precisa aumentar no País. De acordo com ele, apenas 8% dos jovens fazem cursos técnicos no Brasil atualmente, enquanto na Europa o número é de 40%.



Costa diz a Moro que não tem mais dinheiro para gastar com passagem de avião

          Por Mateus Coutinho e Fausto Macedo

São Paulo (AE) - Primeiro delator da Lava Jato, o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa (Abastecimento) afirmou ao juiz Sérgio Moro, por meio de uma petição encaminhada por sua defesa, que não tem mais dinheiro para gastar com a passagem de avião do trecho Rio-Curitiba e depor como testemunha na Lava Jato.
Ele foi arrolado pelo Ministério Público Federal para depor no dia 9 de março como testemunha de acusação na ação penal em Curitiba contra o ex-governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB), a mulher do peemedebista Adriana Ancelmo e outros cinco acusados de corrupção e lavagem de dinheiro envolvendo as obras do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), da Petrobras
Sérgio Cabral e seu grupo são acusados de receber R$ 2,7 milhões de propina da empreiteira Andrade Gutierrez, entre 2007 e 2011, referente às obras.
“Ocorre que o comparecimento do requerente, que muitas vezes já se deslocou até Curitiba, geraria um grande dispêndio em virtude dos altos valores das passagens aéreas, não tendo, o requerente, hoje, condições de arcar com essas despesas, em virtude da grave dificuldade econômica em que toda a família se encontra, somando ainda o fato de suas contas bancárias ainda encontrarem-se bloqueadas”, diz o pedido da defesa de Costa ao juiz da Lava Jato.
Os advogados dele pedem que o delator seja ouvido por meio de videoconferência na Justiça Federal no Rio, expediente que vem sendo utilizado com várias testemunhas na Lava Jato.

Acordo

Responsável por denunciar 28 políticos, entre deputados e senadores, que teriam se beneficiado do esquema de corrupção na Petrobras, o ex-diretor teve sua delação premiada homologada pelo Supremo Tribunal Federal no dia 30 de setembro de 2014. Com o acordo, ele deixou a prisão no Paraná e cumpre pena em casa, no Rio.

Além de multa de R$ 5 milhões, ele também teve que devolver US$ 25,8 milhões que mantinha na Suíça e em Cayman e a Range Rover avaliada em R$ 300 mil que ganhou de presente do doleiro Alberto Youssef.
Ao todo, são 26 cláusulas no acordo de colaboração do ex-diretor, que abrange o bloqueio e devolução de todos os valores mantidos em contas de 11 offshores por ele controladas.
Ele reconheceu que os ativos dessas offshores são “todos, integralmente, produto de atividade criminosa”. Costa também aceitou entregar, a título de compensação de danos, bens que reconhece serem “produto ou proveito de atividade criminosa ou seu equivalente em termos de valor” - lancha Costa Azul, em nome da empresa Sunset, avaliada em R$ 1,1 milhão; terreno adquirido pela Sunset, em Mangaratiba (RJ), avaliado em R$ 202 mil; valores apreendidos em sua residência quando da busca e apreensão (R$ 762.250,00, US$ 181.495,00 e 10.850 euros; bem como veiculo Ranger Evoque, presente do doleiro Alberto Youssef, avaliado em R$ 300 mil.
Costa autorizou o Ministério Público Federal ou outros órgãos - nacionais ou estrangeiros indicados pela Procuradoria -, a acessarem todos os dados de sua movimentação financeira no exterior, mesmo que as contas não estejam em seu nome.


Trânsito
Prefeitura já emitiu quase 3 mil cartões para vagas prioritárias

          Os idosos com mais de 60 anos que moram em Tupã, podem fazer o pedido para o cartão de estacionamento exclusivo. O mesmo vale para pessoas com deficiência. A norma garante o direito às vagas públicas reservadas.
A vaga de estacionamento exclusiva para idosos e deficientes é um direito previsto em lei e, para garantir o benefício, é necessário ter o cartão de estacionamento. O cartão deve ser utilizado toda vez que a vaga for sinalizada como preferencial para idoso, ajudando assim a fiscalização dos agentes e da Polícia Militar no cumprimento da resolução n° 303, de 18/12/2008, do Código Brasileiro de Trânsito.
Para ter o cartão especial, é necessário fazer o requerimento na sede da Secretaria Municipal de Trânsito, que fica, hoje, junto à estrutura do Almoxarifado Municipal, na Rua Nhambiquaras, 1.555. O documento deve ser colocado sobre o painel do veículo, com frente voltada para cima, autorizando a utilização de vagas exclusivas e devidamente sinalizadas.

Procura
E a procura pelo cartão para estacionamento exclusivo para idosos e portadores de deficiências físicas tem sido grande. Vale destacar que somente pessoas que residem em Tupã podem requerer a emissão do documento junto à administração pública local.
A procura pelo documento aumentou nos últimos anos. Além do aumento da população, existe também a questão do sistema de estacionamento controlado (zona azul), que é pago. A zona azul abrange a região central.
O serviço que vem sendo administrado pela prefeitura, tem como base os critérios estabelecidos pela resolução 303, de 18 de dezembro de 2008, do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).
Segundo os registros divulgados pela Secretaria Municipal de Trânsito, na tarde de ontem o sistema já tinha registrado 2.591 cartões para idosos e 388 para deficientes.

Pela lei, as carteirinhas de estacionamento exclusivo podem ser emitidas tanto para idosos com idade acima de 60 anos, quanto para portadores de deficiência. A maior procura pela carteira, porém, tem sido feita pelos idosos.

Requerimento
Para requerer a emissão da carteira, os idosos devem apresentar cópia do RG, CNH e comprovante de residência. Já os portadores de deficiência física devem acrescentar a esses documentos o laudo médico, atestando a deficiência, informando inclusive se a mesma é temporária ou permanente.
Pessoas que sofreram acidentes ou passaram por cirurgia e que, por esse motivo, apresentam algum tipo de deficiência ou dificuldade de locomoção por algum tempo, também podem requerer o cartão. Mas, neste caso, o laudo médico deve descrever o período em que a pessoa estará sob seus cuidados, para recuperação. Depois do prazo, o cartão é cancelado. No momento da retirada do documento, é preciso ainda garantir o pagamento de uma taxa de R$ 5,00.

Vagas

Em Tupã, são dezenas de vagas especiais instaladas na cidade. Essas vagas estão instaladas na área central, nos bairros e defronte as repartições públicas, seja estadual, municipal e federal, além de hospitais e supermercados, entre outros.
Vale lembrar ainda que o respeito às vagas destinadas a idosos e pessoas com necessidades especiais é uma questão de consciência de motoristas, passageiros e pedestres.


Educação
IFSP de Tupã já conta com 370 alunos

          O IFSP (Instituto Federal São Paulo) - Câmpus de Tupã, iniciou as aulas dos cursos técnicos regulares (eletrônica e eletrotécnica) e de seis cursos de extensão, neste mês de fevereiro, com 370 alunos matriculados. As aulas do ensino técnico regular começaram no dia 6 de fevereiro de 2017.
O IFSP possui duas turmas de cursos técnicos integrados ao ensino médio: uma de eletrônica e outra de eletrotécnica. Cada turma possui 40 alunos. As aulas acontecem de segunda a sexta, das 7h15 min até as 16h15 min. “Estamos com 80 alunos no curso técnico integrado ao ensino médio e 30 no técnico noturno”, informou o diretor do IFSP, Caio Marcus Dias Flausino.
Foram iniciados neste mês os cursos de libras intermediário, com 40 vagas; inglês básico, com 30 vagas; japonês básico, com 30 vagas; desenho artístico, 30 vagas; assistente administrativo, 30 vagas; e instalação de ar condicionado, 25 vagas.

Próximos cursos
O diretor destacou que o IFSP iniciará novos cursos de extensão neste mês de fevereiro, como: espanhol para turismo, dia 22, com 30 vagas; teatro, dia 21, com 30 vagas; programação JAVA, no dia 20, com 20 vagas; informática básica, no dia 21, com 25 vagas.
As inscrições para o curso preparatório do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) encerram-se no próximo dia 20. As provas para o processo seletivo acontecem no dia 22. As aulas serão iniciadas no dia 6 de março, com 40 vagas para o período da tarde e 40 vagas para o período noturno. “Portanto, teremos neste semestre 480 alunos estudando no IFSP - Câmpus Tupã”, destacou o diretor.


Creches
Só neste ano, 16 crianças já foram atendidas em razão de decisões judiciais

          O ingresso de ações na Justiça para o deferimento de vagas em creches tem sido o recurso utilizado por muitos pais, que não conseguem esse tipo de atendimento, sob alegação de falta de vaga. Por isso, a prefeitura, através da Secretaria Municipal de Educação, busca reforçar o trabalho na área da educação e ensino infantil, para atender um número cada vez maior de crianças.
Segundo informou a Secretaria de Educação de Tupã, em nota, ainda são poucas as ações judiciais. “Principalmente porque a Prefeitura Municipal tem se preocupado e faz todo o possível para atender o maior número possível de crianças, utilizando o máximo da capacidade das creches para minimizar as necessidades das famílias”, declarou a pasta, em nota.
Ainda de acordo com as informações divulgadas, neste ano nada menos que 16 crianças foram atendidas em razão de decisões judiciais. “Como foram deferidas no início do ano, isso ainda não causou superlotação, mas as creches já estão com sua capacidade máxima de atendimento. Mesmo assim, a prestação do serviço está sendo mantida com toda a qualidade possível. O Judiciário tem entendido que as creches possuem uma capacidade máxima de atendimento e que a abertura de novas vagas implicaria em construções de novos espaços, contratações de profissionais que não podem ser realizadas de uma maneira muito rápida, até porque dependem de dotação orçamentária para isso”, explicou a Secretaria de Educação de Tupã.

Creches
Segundo os registros, as creches municipais atendem, atualmente, 1.021 crianças, das 7 às 19 horas, de forma ininterrupta, mesmo no período de férias. “Prestando um excelente serviço aos munícipes, sendo motivo de elogios das famílias atendidas”, acrescentou a nota.
Na região Norte, são atendidas 175 crianças; na região Sul, 150 crianças; na região Leste, 606 crianças; e na região Oeste, 90 crianças. “A maior necessidade e que possui uma lista de espera maior, ainda é na zona Leste. Mesmo atendendo este grande número, a Prefeitura Municipal está desenvolvendo esforços para aumentar o número de vagas o mais rápido possível, já estando em fase de construção mais uma unidade no Conjunto Habitacional ‘Walter Pimentel’, Vila Marabá. Isso aliviará um pouco mais a espera das famílias”.
Além desta construção, a Secretaria de Educação já está realizando estudos de locais que podem ser utilizados como creche, tentando ampliar ainda mais a oferta de vagas para este ano. “É necessário que as famílias em lista de espera, compreendam que ainda não foram chamadas em razão da inexistência de vagas, estando a Secretaria Municipal de Educação atenta a toda desistência de crianças para convocar com rapidez as crianças constantes da lista de espera”, admitiu a pasta, em nota.

Lista de espera
De acordo com as informações divulgadas, a Secretaria de Educação possui uma lista de espera de vagas que tem diminuído a cada mês. “Porém, com a construção de novas creches, todos serão convocados para manifestar o interesse e demonstrar o preenchimento de requisitos de atendimento. Nenhuma cidade conseguirá zerar a lista de espera, mas é de suma importância que as vagas sejam destinadas em primeiro lugar para as famílias que possuem uma maior situação de vulnerabilidade e que, por isso, possuem maior necessidade do auxílio do poder público, uma vez que o município não terá condições de atender toda a população”, declarou.

Os interessados, portanto, devem procurar a Secretaria Municipal de Educação, preencher uma ficha de interesse, entregar documentos que comprovem a situação social e a necessidade em razão do trabalho da mãe. Com isso, a Secretaria Municipal fará uma triagem e, na existência de vagas, a criança será convocada.


‘Deus é Fiel’
Novo templo poderá ser inaugurado no mês de julho

          Na contramão da crise financeira, a Igreja Evangélica Deus é Fiel dá continuidade à construção do seu novo templo, situado na Avenida Tancredo Neves nº 125, região Leste da cidade. O prédio possui 1,5 mil m² e tem capacidade para recepcionar 850 pessoas sentadas. Os recursos estimados para a obra são de R$ 2 milhões.
Os trabalhos foram iniciados no dia 10 de dezembro de 2012 e a previsão é de que o novo templo - um dos maiores de Tupã - seja inaugurado em meados do mês de julho.
A obra recebeu a instalação de vidros temperados, portas, janelas e revestimento interno. O pastor da igreja, Erval Bonilha, disse que hoje a obra possui quatro frentes de trabalho, com obras de reboco, instalações elétricas, hidráulicas, piso e vidros. “Os trabalhos estão bem adiantados, com cerca de 85% das obras concluídas”, afirmou.
O próximo serviço a ser realizado no prédio é a instalação de pisos na “nave” da igreja, local onde acontecerão os cultos.
Na parte interna da igreja, serão construídos cinco corredores de 1,5 m², com capacidade para atender cerca de 300 pessoas durante os eventos religiosos. Bonilha destacou que a igreja possui cerca de 530 membros. “Temos uma frequência de 1 mil pes-soas durante os cultos”, salientou.
Vale lembrar que a igreja possui atividades semanais com membros de todas as faixas etárias, inclusive aulas de música e canto coral.
Segundo os últimos dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) publicados com base no ano de 2010, o município de Tupã possui 16.672 evangélicos, cerca de 26,5% da população na época contabilizada em 63 mil habitantes.


Pompéia
Internet ajuda a encontrar desaparecido

          Arlindo Ancelino de Santana, morador de Pompéia, pediu ajuda porque disse que seu filho saiu de casa sem avisar, na quinta-feira, dia 9. “Ele estava sem dinheiro, sem documentos e sem nada”, contou.
Mas, com a ajuda das redes sociais, Adriano Arlindo de Santana, de 36 anos, que estava desaparecido, foi localizado na cidade de Iacri, passa bem e já está sob os cuidados da família.

Isso foi possível graças à contribuição de todos que compartilharam as mensagens de diversos meios de comunicação.
O pai de Adriano agradece a todos pela ajuda.


Segurança
Sindicato denuncia crise na Polícia Civil

          A presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (Sindpesp), Raquel Kobashi Gallinati, participou na manhã de ontem de uma reunião com delegados da Polícia Civil de Tupã e da região abrangida pela Delegacia Seccional, para uma discussão sobre as demandas da categoria e dos demais policiais.
Segundo a entidade sindical, a Polícia Civil de São Paulo está em crise e sem perspectiva de melhora. Os dados são alarmantes e o governo está longe de dar indicativos de que irá solucionar o problema. “Não há dúvidas de que a atual política de segurança pública deixou a polícia investigativa relegada a segundo plano.
Em nota divulgada logo após o encontro, o sindicato disse que “justamente a polícia com atribuição de elucidar crimes e desmantelar organizações criminosas está passando por um processo de desmonte. O quadro de lotação da Polícia Civil do Estado de São Paulo é de 39.475 policiais, quadro este idealizado no ano de 1994. Naquela época, o Estado de São Paulo tinha uma população de 33.848.251 habitantes. Pouco mais de 22 anos depois, a população aumentou em cerca de 11 milhões de habitantes (segundo o IBGE, em 2016, São Paulo contabilizou o total de 44.749.699 habitantes), no entanto, o quadro da Polícia Civil permaneceu estagnado”.
E a entidade sindical vai mais longe: “Não bastasse o quadro não ter acompanhado o crescimento populacional, temos o grave absurdo de as vagas existentes não estarem totalmente preenchidas, ao contrário, são mais de 8.200 cargos vagos. O resultado disso pode ser constatado por qualquer pessoa que vá a uma delegacia: mais de 260 municípios sem delegados, dezenas de distritos policiais com portas fechadas, policiais sobrecarregados em escalas exaustivas de plantão e atraso nas investigações”.

Polícia envelhecida
O sindicato ainda destacou o fato de que a Polícia Civil está envelhecida. Conforme suas pesquisas, apenas 3% dos policiais civis tem menos de 30 anos de idade e 44% dos policiais tem mais de 50 anos. “Nos próximos anos, 44% dos delegados de Polícia serão idosos! De novembro de 2016 a fevereiro de 2017, 478 policiais civis se aposentaram e, ainda, estão previstas mais 1.800 aposentadorias a serem publicadas no decorrer deste ano”.
Enquanto o governo de São Paulo desmonta a Polícia Civil e desmotiva os policiais em atividade, a criminalidade aumenta e se organiza. “É de conhecimento público que a facção criminosa conhecida por PCC fundou-se em São Paulo e se estendeu a vários estados do Brasil, avançando para os países fronteiriços”, justificou.

Estatísticas
“Embora o governo do Estado de São Paulo tenha como trunfo a redução do índice de homicídios, indagamos: será que a mera redução do índice de homicídios é um padrão aceitável para medir a eficiência da segurança pública, já que há um aumento da quantidade de roubos e furtos, dentre outros delitos, que não são ressaltados quando da divulgação das estatísticas de criminalidade?”, indagou a nota emitida pelo sindicato. “Isso sem considerarmos a grande quantidade de crimes que são subnotificados, fazendo existir uma cifra inimaginável de crimes que não chegaram ao conhecimento da Polícia Civil”, acrescentou.

Salários defasados
Além do descaso com o efetivo, “verificamos uma política que não valoriza os policiais civis. Os Delegados de Polícia, por exemplo, possuem uma das piores remunerações do Brasil. “Vejam que, para ser Delegado de Polícia, é necessário, no mínimo, sete anos de estudo, período que contempla a graduação na faculdade de Direito e mais 2 anos de prática jurídica”.
De acordo com a entidade sindical, “comparando a remuneração de um Delegado de Polícia com a de outras carreiras jurídicas, é fácil verificar que este profissional é muito mal remunerado, pois não chega a receber 1/3 da remuneração de um promotor, juiz ou defensor. Qual o objetivo dessa política de segurança pública, que não privilegia a investigação de crimes, que não motiva seus profissionais qualificados com pagamento de remuneração adequada à sua responsabilidade e às exigências de sua atividade profissional?”, indagou.
O Sindicato dos Delegados empenha-se em cumprir um cronograma de visitas que abrangem 70 Seccionais por todo o Estado, a fim de colher dados da atual situação de desmonte acima narrada e conclama a sociedade a apoiar essa causa, para que o Governo do Estado de São Paulo recomponha com urgência os quadros funcionais e adote uma política de valorização da polícia investigativa paulista.
Ainda segundo Raquel Kobashi, não há, ainda, nenhum movimento relacionado a paralisações, já que neste momento o sindicato está visitando todas as regiões do Estado para ter um panorama real da situação dos policiais civis no Estado de São Paulo.



Horário de Verão termina neste fim de semana

          O horário de Verão acaba na madrugada do próximo domingo (19), a partir da zero hora, quando os relógios devem ser atrasados em uma hora nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste.
A medida, em vigor desde outubro, tem como objetivo aproveitar melhor a luz solar durante o período do Verão, além de estimular o uso consciente da energia elétrica.
A mudança de horário é adotada no Brasil desde 1931, e visa proporcionar uma economia de energia para o País, com um menor consumo no horário de pico (das 18 às 21 horas), pelo aproveitamento maior da luminosidade natural. Com isso, o uso de energia gerada por termelétricas pode ser evitado, reduzindo o custo da geração de eletricidade.

Energisa
Nos 24 municípios atendidos pela Energisa, o resultado obtido foi uma redução na demanda de aproximadamente 5% e uma redução no consumo de cerca de 0,44%. Esses resultados significam uma economia de 2.110 MWh (megawatts-hora), equivalente ao consumo de 10,9 mil residências durante um mês ou proporcional ao consumo de uma cidade de aproximadamente 32 mil habitantes durante o mesmo período.
Segundo a empresa, o resultado está dentro dos objetivos esperados com a medida, reduzir não só o consumo, mas principalmente a demanda. Com o horário de Verão reduz-se o esforço do sistema, ou seja, as pessoas mudam seus hábitos, há um alívio no uso das redes de transmissão de energia no horário de pico. Por exemplo, no início da noite, o consumo de energia residencial é diluído e normalmente não coincide com o horário em que as luzes da iluminação pública são acesas, e isso torna o sistema de distribuição muito mais seguro.


FGTS
Em Tupã, mais de 12 mil contas receberão o benefício

          O superintendente Re-gional da Caixa Econômica Federal, José Paulo Gomes de Amorim, esteve na agência tupãense na manhã de ontem para esclarecer as dúvidas sobre o pagamento das contas inativas do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) que acontecerá entre os dias 10 de março a 31 de julho.
O superintendente informou que, na cidade de Tupã, são 12.152 contas inativas. Os valores, porém, não foram divulgados pela agência, uma vez que ainda estão sendo apurados.
O governo federal divulgou na última quarta-feira, dia 14 de fevereiro, o calendário de pagamento das contas inativas do FGTS. Conforme a Medida Provisória nº 763/2016, tem direito ao pagamento de conta inativa o trabalhador que pediu demissão ou foi demitido por justa causa até 31 de dezembro de 2015.
A medida engloba 49,6 milhões de contas, com saldo de R$ 43,6 bilhões, beneficiando 30,2 milhões de trabalhadores. A previsão é que a medida injete mais de R$ 30 bilhões na economia brasileira.

Calendário
Os trabalhadores nascidos nos meses de janeiro e fevereiro começam a receber o benefício a partir do dia 10 de março; os nascidos em março, abril e maio, a partir do 10 de abril. No dia 12 de maio serão beneficiados os nascidos nos meses de junho, julho e agosto; a partir do dia 16 de junho, os nascidos nos meses de setembro, outubro e novembro; e a partir do dia 14 de julho, os nascidos no mês de dezembro. “O prazo final para o pagamento é no dia 31 de julho. Após essa data, os pagamentos não serão mais efetuados”, destacou Amorim.

Atendimento
O superintendente explicou que a população pode se informar sobre o pagamento do benefício no site da Caixa: www.caixa.gov.br., pelo telefone exclusivo para contas inativas, que é o 0800-726-2017 ou ir até a agência da Caixa Econômica Federal. “Nesta sexta-feira, estaremos abrindo mais cedo, das 8 às 10 horas, para atendimento exclusivo dessa questão”, disse.
Amanhã, sábado, dia 18, a agência tupãense estará aberta das 9 às 15 horas, para atendimento exclusivo dos clientes que tiverem dúvidas sobre as contas inativas. “Até a noite de ontem (dia 15) o site da Caixa teve mais de 26 milhões de acessos. O número representa praticamente a quantidade de pagamentos que serão efetuados das contas inativas do FGTS”, salientou.

Pagamentos
A agência busca alternativas para minimizar o impacto com a movimentação dos recebimentos e, por isso, elabora novas estratégias. Segundo Amorim, os clientes que possuem conta-poupança na Caixa receberão o crédito diretamente.
O superintendente explicou que o pagamento aos clientes nascidos nos meses de janeiro e fevereiro (a partir do dia 10 de março) representam 30% dos recebimentos. “Essa é uma grande quantidade que iremos liberar”, destacou. Os clientes que possuem conta-corrente ou conta-conjunta podem entrar em contato pelo ‘’0800'’ ou acessar o site da Caixa, a ‘’Internet Bank’’ para receber os valores.

Valores
Os clientes que irão receber até R$ 1,5 mil poderão sacar a quantia nos terminais de auto-atendimento da Caixa, somente com a senha do Cartão do Cidadão. Não há a necessidade de apresentar o cartão físico. Pelo site da Caixa haverá procedimentos a serem seguidos e, no “0800” haverá informações para retirada da senha. Aqueles que irão receber até R$ 3 mil terão que possuir o Cartão do Cidadão físico, mais a senha e um documento de identificação. Nesse caso, o valor poderá ser sacado nas lotéricas, nas agências da Caixa, ou em seus terminais de auto-atendimento. Amorim explicou que o pagamento para valores acima dessas quantias serão efetuados apenas nas agências da Caixa. “O valor até R$ 3 mil representa 90% dos pagamentos”, afirmou.
Para valores superiores a R$ 10 mil, será necessária a apresentação da carteira de trabalho ou documento que comprove a extinção do vínculo do trabalho.
Caso prefira, o cliente poderá abrir uma conta na Caixa Econômica Federal para receber o valor que será depositado automaticamente. Não haverá pagamento de taxas.

Antigos pagamentos
O saldo inativo do FGTS era liberado apenas para aposentados, trabalhadores que há três anos consecutivos estavam sem registro em carteira, em casos de investimentos habitacionais e tratamento de algumas doenças, conforme a legislação. O superintendente explicou que após o dia 31 de julho, a antiga regra voltará a funcionar como antes. “Essa é uma situação pontual da MP que vai privilegiar e liberar esse valor de recursos”, enfatizou.

Valor
O valor do benefício a ser retirado será atualizado de acordo com a inflação e juros de 3% ao ano, mais a correção monetária. Amorim ressaltou que o Fundo de Garantia recolhe 8% ao mês do salário do trabalhador. “Se ele recebe um salário mínimo, 8% é depositado todos os meses. Esses valores vão se somando e sendo corrigidos. A conta é feita referente a 8% ao mês do salário que a pessoa recebia. Esse é o valor que ela receberá agora”, esclareceu.

Com o dinheiro
em mãos

Existem trabalhadores que, ao receber o saldo das contas inativas, pretendem guardar o dinheiro, outros pagar contas e outros ainda vão gastar em compras. O superintendente explicou que o investimento na economia “é o grande objetivo” da medida. “Já percebemos um pequeno sinal de crescimento na economia. Esperamos que essa medida possa acelerar a economia, pois precisamos voltar a crescer”, afirmou. “A remuneração que o FGTS dá é a menor que tem. Vale a pena retirar, seja para aplicar esses recursos ou pagar dívidas”, acrescentou.


Meio Ambiente
Secretaria busca ações para reduzir despesas

          A Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente é uma das que possui maior número de funcionários, veículos, projetos e, consequentemente, despesas. A previsão orçamentária, disponibilizada para a manutenção de seus trabalhos neste ano, aumentou cerca de 5,3% em relação ao ano passado.

Em 2016, a prefeitura disponibilizou, por meio do orçamento municipal, a quantia de R$ 9.938.600,00 para os trabalhos da pasta. Neste ano, o valor foi de R$ 10.463.150,00, segundo o Portal da Transparência.
Vale lembrar que a inflação do ano passado foi de 6,58%, segundo o IPCA-E (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), divulgado pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com um aumento na disponibilidade de recursos abaixo da inflação, o novo secretário terá que definir estratégias para conseguir administrar a pasta.
Preocupado com os gastos da máquina pública, o prefeito José Ricardo Raymundo busca de todas as formas “fechar as torneiras”. Hoje a palavra de ordem no Paço Municipal é economizar. Para o prefeito, conter os gastos públicos é função primordial para manutenção dos secretá-rios - e quem assim fizer, poderá garantir por mais tempo seu cargo.

Cientes da situação em que se encontram as finanças públicas, muitos secretários deixaram de elaborar novos projetos, porque não há disponibilidade de recursos para nada. Por isso, o máximo que se consegue atualmente é manter o que existe, ainda que muitas vezes de forma precária.

A Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente, por exemplo, possui os projetos “Eco-Ponto”, “E-lixo”, “Eco-Gire”, “De olho no óleo” e ainda é responsável pela coleta do lixo orgânico e reciclável, pela apreensão de animais de grande porte abandonados nas ruas, manutenção da usina de resíduos sólidos, poda e extração de árvores, limpeza das praças públicas e áreas verdes, roçada de mato e pelo auxílio na recuperação de estradas rurais.
Com sede na Rua Francisco Budaibes nº 101, possui dezenas de veículos utilizados para execução desses serviços, o que aumenta os gastos da pasta com combustíveis. Para manter essa diversidade de serviços com o máximo de economia, o secretário Afonso Ponce projeta novas ações, em conversações com membros da sociedade e vereadores. Mas por enquanto não há nada definido.

Valores

O valor empenhado (reserva de recursos para pagamento planejado) dos serviços projetados pela pasta sofreu redução de 34,5%, até o dia 14 de fevereiro deste ano, em relação a igual período do ano passado. Até o dia 14 de fevereiro de 2016, a pasta realizou empenhos de R$ 998.132,81. Já no mesmo período deste ano, o valor empenhado foi de R$ 654.496,79.

O valor liquidado (momento em que o serviço empenhado foi executado) reduziu cerca de 29% no período analisado, passando de R$ 888.041,84, até o dia 14 de fevereiro de 2016, para R$ 628.663,54 no mesmo período deste ano.
Já o valor pago (momento em que o prestador do serviço recebe, de fato, o valor da prefeitura) recuou cerca de 18,5%, passando de R$ 589.682,36 até o dia 14 de fevereiro de 2016, para R$ 480.251,18 no igual período de 2017.

Em busca de novas idéias para gerar economia, o secretário visitou nesta semana a Secretaria Municipal de Meio Ambiente da cidade de Quatá. Após a visita, Afonso Ponce está agendando novas reuniões na sede da secretaria para definir as próximas ações da pasta.



Acidente na madrugada terminou com fuga e detenção

          Um acidente, envolvendo dois veículos, ocorrido na madrugada de ontem, quinta-feira (16) chamou atenção pelo fato de um motorista ter desaparecido do local e o outro ter sido detido por suspeita de embriaguez ao volante. A ocorrência foi registrada pela Polícia Militar, por volta das 2 horas, na esquina da Avenida Tamoios com Rua Bororós.
Os policiais militares Vagner e Bertholdo realizavam patrulhamento quando depararam com um acidente, onde um Fox, com placa de Tupã, de propriedade de F.O.M., de 51 anos de idade, estava totalmente danificado no local, e um Focus, com placa de Teodoro Sampaio, se encontrava a uma distância de cerca de 500 metros do primeiro veículo.

Foi apurado que o motorista do Focus evadiu-se do local após o acidente, porém, foi identificado, através de pesquisa via Prodesp, o nome da pessoa que tinha o veículo registrado em seu nome, de iniciais R.P.P., de idade não revelada.
O condutor do Fox contou que trafegava com seu veículo pela Avenida Tamoios, no sentido ruas Caingangs e Bororós, sendo que ao efetuar uma manobra de conversão à esquerda, para adentrar em outra via, o que não é permitido, interceptou o Focus, que subia – segundo o depoente em alta velocidade - a Avenida Tamoios, sentido da Rua Mandaguaris.
Devido ao impacto, a roda dianteira do veículo Focus foi arrancada, mas mesmo assim o carro só parou a cerca de uns 500 metros do local da "batida".
Os policiais militares constataram que o condutor do Fox apresentava sinais de embriaguez - olhos avermelhados, odor etílico, fala alterada. O motorista foi convidado a soprar o etilômetro, mas se recusou a fazer o teste. Foi conduzido para a Central de Polícia Judiciária (CPJ ) e depois encaminhado ao IML, onde o médico de plantão confirmou a embriaguez.

O motorista foi indiciado e autuado em flagrante delito pela delegada de plantão Janaina Antoniazi Garosi, pelo crime de embriaguez, e teve que pagar a fiança no valor de R$ 937,00 para ter o direito de responder o processo em liberdade.
Os veículos foram recolhidos administrativamente ao pátio da Ciretran em Tupã.


Herculândia
Saúde Regional define Hospital São José como referência em olhos

          Com demanda reprimida de pelo menos nove mil consultas e procedimentos, o Ambulatório de Oftalmologia da Famema cessou a terceirização dessa especialidade, que é alvo de investigação pelo Ministério Público Federal. A Divisão Saúde Regional (DRS), vinculada ao Estado, transferiu ao Hospital São José, de Herculândia, a referência SUS para 62 municípios, incluindo Tupã.
Embora Marília seja a sede da Regional de Saúde, Herculândia, com cerca de nove mil habitantes, passa a ser a referência na especialidade de oftalmologia, com os agendamentos feitos via Cross (Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde). “Não seremos pronto-atendimento em oftalmologia, mas receberemos pacientes de 62 municípios para os procedimentos agendados, inclusive de Marília, que, aliás, já nos tem enviado muitos pacientes”, ponderou a auxiliar administrativa do Hospital Beneficente São José, de Herculândia, Raíssa Alves Antoniucci.
A Santa Casa de Misericórdia de Marília também concorreu ao chamamento público feito pelo DRS IX (Departamento Regional de Saúde 9, de Marília), mas o serviço estadual entendeu que esse hospital não poderia acolher a demanda regional por já manter contrato de oftalmologia com o Município.
A Santa Casa respeitou a decisão, mas afirma que tem capacidade para realizar os procedimentos oftalmológicos também para a regional. Mesmo assim, Herculândia se torna a referência.

MPF investiga
O Complexo Assistencial Famema, que tinha o convênio com o DRS IX até então, nem participou do processo. O diretor geral, Paulo Roberto Michelone, disse que a decisão foi tomada porque a instituição tinha que terceirizar os procedimentos. A oftalmologia do Complexo Famema está sendo investigada pelo MPF (Ministério Público Federal) por irregularidades na formalização de convênios com clínicas médicas. Como um dos alvos da operação Esculápio, deflagrada em 8 de julho de 2015, que se encontra em andamento.

Hospital São José
Embora Michelone tenha mencionado a terceirização como dificuldade para manter o convênio com o Estado, no Hospital São José o atendimento regional também vai depender de médicos de fora do corpo da instituição. De acordo com o próprio hospital, médicos oftalmologistas de Bauru e Birigui, que já possuem consultórios particulares, mantém uma clínica dentro do hospital há três anos para atendimento de glaucoma e entrega de medicação. O que fazem através de organizações de mutirões, que são abertos a pacientes da região. “O interesse do Hospital São José, mantido pelas irmãs missionárias de Fátima, em passar a ter o ambulatório geral de oftalmologia é exclusivamente atender a população que não tem tido atendimento, haja vista a grande demanda reprimida. Nossos oftalmologistas contratados também comungam desse interesse, até porque um deles iniciou sua carreira neste hospital”, observou Raíssa Antoniucci.

Posição do Estado
O Departamento Regional de Saúde de Marília mencionou que “o serviço de oftalmologia do SUS de Marília será transferido para o município de Herculândia para melhor atender a população da região de Marília. Foi aberto chamamento público e nele foi constatado que a unidade está apta a realizar todos os serviços que eram ofertados anteriormente”.


Superação
Jovem tem nova vida após tragédia

          Enquanto os novaiorquinos eram atingidos com o maior ataque terrorista de sua história, no dia 11 de setembro de 2001, uma mãe tupãense levava sua filha de dois anos e meio às pressas para atendimento emergencial na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) da Santa Casa de Tupã.
Naquela terça-feira, Regina Bonfim Pantolfi Dias, de 49 anos, ia à igreja acompanhada de sua mãe e sua filha, para participar de um culto. Em seguida, deveria receber uma cesta básica, pois naquela época passava por séria dificuldade financeira.
Antes, porém, de chegar à igreja, nas proximidades da Avenida Tamoios com a Rua Aimorés, sua filha, que estava em seu colo, foi atingida nas costas por uma bala perdida. O projétil foi disparado em uma troca de tiros entre bandidos e policiais, que seguiam os criminosos, após um assalto ocorrido na antiga agência da Caixa Econômica Federal. “Quando fomos virar a esquina, próximo à farmácia, começaram os dis-paros. Fiquei abalada e desesperada. Para mim, aquele dia foi um choque, me abalou muito. Achei que a minha filha poderia partir naquele momento, mas Deus foi tão bom que guardou a minha filha. Ela ficou com sequelas no corpo e tem que usar cadeira de rodas”, disse. “Naquele dia, ela queria muito andar. Parecia que era uma despedida para ela parar de andar”, completou.
Regina disse que ficou desesperada durante o tiroteio. “Não sabia para onde olhava e para onde corria. Pedi ajuda e ninguém me socorreu”, afirmou.
Naquele momento, a mãe disse que um rapaz saiu correndo de uma loja para prestar auxílio e pediu socorro aos motoristas. “Uma caminhonete parou e socorreu minha filha. Vi minha filha morrendo nos meus braços, dentro da caminhonete: as mãos dela estavam roxas e o olho estava virando. Foi um choque para mim. Minha mãe estava do meu lado, gritando muito naquele momento de desespero”, salientou.
A filha Sara Regina da Silva Leite foi levada com urgência à Santa Casa de Tupã. O médico que atendeu disse que seu estado de saúde era gravíssimo. “O médico disse que ela poderia ir para a mesa de cirurgia e não voltar mais. Ela estava com um buraco nas costas e não movimentava mais o corpo. Mas Deus deu uma nova vida para milha filha. Se não fosse Deus naquele dia, nem eu estaria viva”, disse a mãe.
Regina disse que conviveu por muitos anos com a dor do choro de sua filha, que queria andar e não podia. “Isso é muito difícil para uma mãe escutar. Eu não podia fazer nada por ela, apenas orar”, afirmou. “Cada dia para mim é uma vitória. Hoje minha filha está estável, ela tem sua casa e comprei uma cadeira de rodas motorizada para ela se locomover melhor”, completou.
Regina agradeceu o apoio da população e dos militares que a ajudaram muito, com a entrega de alimentos e fraldas para sua filha. “Tudo que eu precisava naquele momento, o povo de Tupã me ajudou. Eu estava desempregada e não tinha onde morar”, destacou.
A mãe ressaltou que os policiais se uniram e alugaram uma casa de dois cômodos para a família. Eles pagaram três meses de aluguel. “Ali recebi muita ajuda da população. Depois de um certo tempo, voltei a trabalhar, mas tive que deixar o emprego para cuidar da minha filha e levá-la para as sessões de fisioterapia”, enfatizou.

Recomeço
Sara Regina da Silva Leite, que hoje tem 18 anos, lembra da primeira vez que sentou na cadeira de rodas. “Eu tinha cinco anos de idade. Estranhei muito”, afirmou.
Sara pensou que não iria se acostumar com a cadeira de rodas e pensou que nunca iria se locomover. “Com o tempo, fui sentindo as minhas pernas e comecei a me locomover. Usei fraldas até os meus 10 anos de idade. Aos poucos, fui me acostumando. Naquele tempo, minha mãe me ajudava com tudo, mas depois me adaptei e me acostumei com a cadeira de rodas e me movimento sozinha”, acentuou.

Infância perdida
Sara destacou as dificuldades de sua infância e os momentos em que via as crianças brincando, andando de bicicleta, algo que ela desejava fazer mas não podia por causa de suas limitações físicas. “Via as crianças brincarem e perguntava para minha mãe se não iria brincar. Queria andar de bicicleta e não podia. Isso foi me dificultando um pouco, porque pensei que um dia não ia conseguir fazer nada daquilo. Com o tempo, eu reconheci que não podia, mas fui me acostumando”, ressaltou.
Comovido com a situação em que se encontrava a irmã mais nova, Alexandre da Silva Pires, de 32 anos, disse que buscou ajudar Sara no que podia. “Minha mãe ficava preocupada com a Sara, mas mesmo assim eu a colocava na bicicleta para ela se sentir feliz. Isso era uma coisa que ela queria muito”, afirmou.
Em seus estudos, Sara explicou que sua escola era adaptada, o que facilitou o seu aprendizado. “Para estudar não foi difícil, porque eu me acostumei nos primeiros dias. Mas cheguei a achar que não iria conseguir”, disse.
Sara, porém, não esconde que ficava abatida ao ver as pessoas andando normalmente. Para superar esses pensamentos negativos, ela contou com a ajuda dos amigos. “Conheci pessoas novas que me ensinaram a ver as coisas de uma maneira mais fácil. Eu não aceitava, mas o tempo passou e eu vi que eu tinha que me conformar”, acentuou.
Cerca de seis meses após ser atingida pela bala perdida, Sara explicou que seu pai saiu de casa e faleceu quando ela tinha cerca de doze anos.
Sara afirmou que conseguiu superar as dificuldades, mesmo com a ausência do pai. “A minha mãe foi meu pai e minha mãe. Ela me ajudou muito e me orientou. Isso me ajudou muito”, enfatizou.
Por conta das dificuldades para estudar, Sara Regina completou o 2º colegial e disse que pretende continuar os estudos e fazer faculdade. “Quero ser bióloga marinha. Minha vontade desde pequena era de estudar e trabalhar. Sinto vontade de fazer tudo o que uma pessoa que anda faz. Me esforço muito para isso”, ressaltou.
Sara destacou que o tempo a restabeleceu socialmente, dando oportunidade para que ela pudesse realizar seus sonhos. “Pensei que não iria namorar, casar ou fazer as coisas que as pessoas que andam fazem. Com o tempo, eu cresci e mudei meu pensamento. Nada para mim é impossível. Se não fosse Deus na minha vida, não estaria aqui”, afirmou.

Casamento
Sara vai se casar amanhã, dia 18 de fevereiro, no Cartório de Registro Civil. “Esse é um sonho que está sendo realizado. Meu noivo me ajuda bastante, me dá conselhos e me levanta bastante”, acrescentou.
Apesar da tragédia que lhe atingiu, Sara disse que Tupã é um lugar que lhe faz bem. “Não podemos apenas ficar olhando para trás. Temos que olhar para frente e acreditar que a gente pode fazer, consegue e que nada é impossível”, disse.
Aos nove anos de idade, Sara e sua família se mudaram para Paulicéia. Sara decidiu voltar para Tupã no dia 29 de janeiro, mas sua mãe continua em Paulicéia. “Eu me sinto renovada e realizada, por passar por várias lutas. Hoje vejo que sou uma pessoa forte”, destacou.
Por mais força que tenha demonstrado em sua vida, Sara explicou que sua única fraqueza é passar pelo local do acidente, que quase tirou sua vida há 16 anos. “Pensar em tudo o que aconteceu naquele lugar me deixa triste. Mesmo sendo forte, tento não passar naquele lugar para não lembrar das dificuldades que vivi”, disse.

Preconceito
Sara destacou que já sofreu preconceitos por ser cadeirante, mas preferiu ignorar os comentários e olhares maldosos das pessoas. “No dia de amanhã, essa pessoa pode estar no mesmo lugar que eu, e sentir o que eu senti. Eu ignorava esses comentários. A pessoa preconceituosa não reconhece o que passamos nessa fase”, observou.
Mesmo convivendo com o julgamento negativo de algumas pessoas, Sara deu um “toco” no preconceito, praticando basquete na escola que estudava, independente da opinião alheia. “Eu adorava. Comecei a frequentar as aulas e esse foi o único esporte que pratiquei. Era algo que me ajudava bastante e me trazia alegria”, concluiu.


Macrodrenagem
Prefeitura fará limpeza nos dois ‘piscinões’

          O mato está alto e tomou todos os espaços. Por isso, a prefeitura, através da Secretaria Municipal de Obras, deverá iniciar o serviço de limpeza dos “piscinões” do projeto de macrodrenagem, nas ruas Brasil e Prudente.
Será feita a limpeza da grama para retenção da água, depois haverá a continuidade da canalização. Segundo a Secretaria de Obras, a prefeitura deverá providenciar a parte da limpeza para dar manutenção aos “piscinões” e preparar a área para receber o disciplinamento da água.
O projeto de macrodrenagem, porém, continua parado por conta do período chuvoso. Segundo a pasta, a prefeitura já notificou a empresa para prosseguir com os trabalhos.

A Secretaria de Obras explicou que, mesmo com um pequeno período de estiagem, não é possível retomar a obra de imediato.
Por enquanto, a mesma empresa deverá continuar o projeto, através do Consórcio Tupã Ambiental. Ainda segundo as explicações técnicas, com o período de chuva afloram as minas e o terreno fica encharcado. Por isso, não dá para recomeçar de imediato a obra. É preciso um período mais extenso de sol, para que o solo do canal esteja em condições de ser preparado como base para receber aduelas de concreto. Isso exige um período maior de estiagem.


sobe.gif (937 bytes)


| Home | Economia | Geral | Sociedade | Policial | Esportes | Política | Variedades |Expediente |E-mail

Hosted by UNISITE - Todos os direitos Reservados